Cidades

Concordia, SC

Ensolarado
27º C Segunda-Feira
28º
12º
Ter
25º
11º
Qua
24º
Qui
24º
Sex
23º

Concórdia é uma cidade, localizada no estado de Santa Catarina (a sigla deste estado é "SC").


Sobre Censo Demográfico: O Censo realizado pelo IBGE aponta população estimada em 72.642 habitantes, sendo aproximadamente 33.771 homens e 34.850 mulheres. A densidade demográfica de 85.79 km².


As pessoas nascidas em Concórdia/SC são chamadas de "concordense" (na expressão popular "Quem nasce em Concórdia é concordense"). Atualmente existem 61.011 alfabetizados. O DDD (Discagem Direta a Distância) é 49


Sobre Religião: Segundo censo na cidade de Concórdia existe 55.651 habitantes da religião católica, 11.206 habitantes da religião evangélica e 567 habitantes espíritas.


Sobre IDHM: (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) que é composto por indicadores de três dimensões: longevidade, educação e renda. Este índice varia entre 0 e 1, sendo que quanto mais próximo de 1 maior o desenvolvimento humano. O IDHM de Concórdia/SC é 0.8 .

O código do município de Concórdia do IBGE é 4204301. Existem 49 postos de saúde (SUS) em Concórdia.


Saiba mais sobre Concórdia/SC: Identificamos em pesquisas realizadas em nosso banco de dados que existem aproximadamente 918 ruas cadastradas, distribuídas em 42 bairros (publicamos a relação destes 42 bairros organizados alfabeticamente na parte inferior desta página) na cidade de Concórdia/SC. E encontra-se também cadastradas em nossa base de dados cerca de 2.681 empresas, comércios, prestadores de serviço, profissionais liberais, autônomos, dentre outros. Sendo que estes podem ser facilmente encontradas em: applocal.com.br/empresas na cidade de Concórdia/SC.


Município de Concórdia
Município Concórdia
Estado Santa Catarina
Gentílico concordense
IDH 0.8
População
Total Estimada 72.642 Homens 33.771 Mulheres 34.850 Densidade 85.79 hab./km²
Religião
Católicos 55.651 Evangélicos 11.206 Espíritas 567
Fonte: IBGE
Concórdia Santa Catarina - SC Atual município e áreas próximas foram habitados pelos índios Tupis-Guaranis, que a partir do século XVIII, foram desaparecendo da região. Fixados em zonas fronteiriças com o Estado do Rio Grande do Sul, ramificando-se pelo interior de Concórdia e toda a região do antigo Contestado, a população nativa marcou significativamente sua presença no Oeste Catarinense. Os primeiros contatos entre brancos e índios não foram amistosos. Os atritos entre os mesmos tiveram como principal causa foi o medo dos índios, das armas de fogo dos bugreiros, que também temiam o ataque dos índios. Estes, por sua vez, fugiram, avançando o território argentino, e outros ainda encurralados, foram aprisionados como escravos ou liquidados. A fixação dos brancos com a criação de suas fazendas determinou o afastamento dos poucos índios que restavam. Resignados a impotentes, procuraram formar redutos em regiões distantes. A colonização de Concórdia teve seu início definitivo no ano de 1925, mostrando a existência de pequenos agrupamentos indígenas, com cerca de 15 a 20 elementos, que viviam longe dos brancos, em pequenas aldeias. A construção do trecho catarinense da Estrada de Ferro São Paulo - Rio Grande, pela "Brasil Railway Co.", iniciando em 1908 e concluído em 1910, foi preponderante para o povoamento do Meio Oeste Catarinense. Objetivando promover a colonização dessas terras, a Brazil Railway Co. constituiu uma empresa subsidiária, a Brazil Development and Colonization Company, com sede em Portland, nos Estados Unidos, autorizada a funcionar no Brasil, a partir de 13 de março de 1912. Nesta mesma época chegam os primeiros imigrantes, e fundam uma pequena vila, no local onde já residia o caudilho José Fabrício das Neves, considerado o pioneiro da colonização. Em 1925, a colônia conhecida até então pelo nome de Queimados, passa a ser chamada de Colônia Concórdia, por iniciativa da Sociedade Territorial Mosele, Eberle & Ahrons Ltda. Com a aceleração no desenvolvimento da colonização, os problemas gerados pela dependência de Cruzeiro (hoje Joaçaba) tornaram-se mais evidentes. Havia também muito descontentamento pelo fato de os impostos ali gerados serem recolhidos sem que se observasse algum retorno significativo. O povo, liderado pela Companhia Mosele, fez um abaixo-assinado pedindo a criação do Distrito.. Fonte: IBGE e Prefeitura Municipal.